Queixas mais frequentes em terapia

Desconforto emocional: Sentir dor emocional faz parte da vida. No entanto, pode haver momentos em que ela é intensa ou de longa duração, comprometendo a vida diária. A psicoterapia ajuda no alívio de desconfortos como angustia, tristeza, sensação de vazio, sofrimento e insegurança.

Ansiedade: infelizmente, transtornos de ansiedade são muito comuns na população moderna. Sentir-se ansioso é normal e útil para nossa adaptação. Entretanto, quando é frequente e intensa, a ansiedade passa a ser um transtorno, que pode aparecer como ataques de pânico, fobias, ansiedade social. Este estado desagradável traz sofrimento e interfere nas atividades diárias de uma pessoa, comprometendo uma ou mais áreas da sua vida.

Problemas de relacionamento: embora os relacionamentos devam ser uma fonte de amor, alegria e afinidade, muitas vezes podem trazer conflitos, sofrimento emocional e tornar difícil a relação com cônjuge, pais, filhos, colegas de trabalho ou outra pessoa significativa. É necessária a compreensão do problema e a identificação de estratégias de mudança para, então, melhorar as relações e a sociabilização.

Dificuldades sexuais: falta de desejo sexual, dificuldade em ter orgasmo, ejaculação rápida, dificuldade em ter ou manter ereção (disfunção erétil), dor durante a relação e vaginismo são questões que levam a uma insatisfação sexual. Apesar de comuns, pode ser difícil conversar sobre elas. Falar com um profissional treinado em um ambiente seguro e confidencial pode ajudar a identificar dificuldades e ter uma vida sexual satisfatória.

Depressão: muito mais do que sentir-se triste, depressão é uma condição clínica séria, caracterizada por uma tristeza profunda (muitas vezes, sem causa aparente), falta de prazer, falta de interesse em toda e qualquer atividade, baixa autoestima e alterações no sono e no apetite. Ela compromete, geralmente, todas as áreas da vida e demanda tratamento psicológico.

Dificuldades financeiras: ter uma vida financeira longe da que gostaria é uma realidade para boa parte dos brasileiros. No entanto, as razões para essa diferença vão além de questões matemáticas ou crises econômicas nacionais. Quando estamos falando de dinheiro, precisamos colocar as emoções na mesa para investigar se elas estão trabalhando a favor ou contra sua prosperidade.

Perdas recentes (pessoas queridas, perdas materiais ou outras): A perda é um dos eventos mais desestruturantes para o ser humano. Apesar do luto ser um processo doloroso, ele faz parte da vida e deve ser vivido e respeitado. Cada pessoa passa por ele do seu jeito e no seu tempo. A adaptação a uma perda significativa pode ser delicada e, não raro, ser necessária uma ajuda profissional.

Orientação profissional e de carreira: A satisfação profissional é um aspecto importante da nossa vida. A terapia proporciona um espaço de reflexão que pode auxiliar o jovem no momento da escolha profissional e também a quem já tem uma carreira, mas não se sente realizado com esta atuação.

Projeto de vida: Às vezes, apesar das infinitas possibilidades da vida, pode ser difícil enxergá-las ou saber o que, de fato, queremos. No entanto, é importante dar atenção a construção de um projeto de vida para descobrir sonhos e metas pessoais e usar as estratégias necessárias para concretizá-los.

Problemas que acontecem repetidamente: pode ser, por exemplo, sempre atrair o mesmo tipo de pessoa-problema para se relacionar ou nunca ser reconhecido em todo emprego que consegue. Quando uma área da nossa vida segue um padrão repetitivo, algo está sendo sinalizado e precisa ser investigado para que estes modelos sejam rompidos.

Autoaceitação: Pode ser desafiador alcançar a autoaceitação quando parece muito mais fácil e habitual julgar a si mesmo como indadequado(a), ouvir uma voz interior autocrítica, colocar defeitos nas conquistas, nas escolhas, no corpo, na orientação sexual e/ou no modo de ser. Conseguir paz interna e satisfação pessoal é necessário para uma saúde mental de qualidade.

Dificuldade para emagrecer ou para ganhar peso: Perder peso é algo muito desejado. Mas o que torna este tópico tão popular com infinitos comentários, revistas, reportagens, sites dedicados a ele é justamente porque não é tão simples como parece. Alcançar este objetivo vai além de seguir dietas, fazer exercícios, receitas milagrosas ou até cirurgias. A sua mente precisa estar preparada para trabalhar em sintonia com seus esforços e não jogar tudo por água abaixo. Quem quer ganhar peso, também vale o mesmo raciocínio.

Fase de mudanças: Mudanças são necessárias e, muitas vezes, acontecem independente da nossa vontade, exigindo estratégias emocionais para adaptação. Mudança de cidade, de emprego e aposentadoria são alguns exemplos.

Abusos físicos/moral/sexual ou algum evento traumático: quando alguém passa por uma experiência traumática, é comum lutar com emoções desagradáveis, memórias perturbadoras ou a sensação de estar em perigo constante. Quando coisas ruins acontecem, pode levar um tempo para dor ser superada e sentir-se seguro de novo. Com o tratamento certo, é possível se recuperar e seguir em frente.

Doenças crônicas: uma doença crônica impacta significativamente a vida de uma pessoa, que se depara com inúmeras mudanças já desde o diagnóstico. É necessário se adaptar a uma nova condição devido à doença e o tratamento. A psicoterapia oferece suporte psicológico e emocional para lidar com este evento.

Autoconhecimento e desenvolvimento pessoal: Reservar um momento da agitação da vida moderna para um cuidado com você é fundamental. Com a psicoterapia, você torna-se consciente do seus potenciais e fraquezas, trabalhando com seu autoconhecimento, que é a base para uma boa autoestima, autoconfiança e felicidade interior.

Estes são alguns dos casos em que um psicólogo pode te ajudar. No entanto, o motivo que leva alguém a fazer psicoterapia é pessoal e único.